Espécies BrasileirasCPOEspécies Brasileiras

Cultivo das Orquídeas



Noções Básicas
As orquídeas constituem uma família de plantas muito evoluídas, mas são relativamente rústicas, podendo ser cultivadas sem muita dificuldade mesmo por iniciantes, bastando para isso tomar alguns cuidados básicos.
Como pudemos observar na página "As Orquídeas", elas ocorrem na natureza de muitas maneiras diferentes, podendo ser epífitas, rupícolas, humícolas, terrestres ou mesmo subterrâneas. Habitam os mais diversos ambientes, desde grandes altitudes até regiões banhadas pelo mar; desde locais muito frios até regiões tropicais; etc.Epidendrum ellipticum Grah.  -  foto: Marcos A. Campacci Algumas espécies podem assumir vários hábitos, como o Epidendrum ellipticum Grah. (foto), que ocorre de forma terrestre, rupícola ou epífita, dependendo do hábitat. Conforme informações daquela página, sabemos também que muitas espécies usam árvores ou arbustos como suportes, mas nenhuma delas é parasita.
 

Baseados nos hábitos e hábitats naturais das orquídeas é que devemos orientar o nosso cultivo, procurando reproduzir o ambiente onde elas vivem. É claro que não existe a menor possibilidade de termos em cultivo as mesmas condições de luz, ambiente, clima, densidade pluviométrica, etc. que as plantas encontram na natureza, e tentamos então "imitar", da melhor forma possível, essas condições.
Outra coisa muito importante é não querermos cultivar tudo que vemos na nossa frente, uma vez que a maioria das plantas não se adapta a condições muito adversas daquelas que ela tem na natureza. Assim, apenas como exemplo, podemos afirmar que uma planta natural da Cordilheira dos Andes a mais de 3.000 metros de altitude, dificilmente sobrevive em climas tropicais e vice-versa. De uma maneira geral, devemos escolher um grupo de plantas que sejam assemelhadas quanto às necessidades de temperatura e umidade, para não nos frustrarmos posteriormente com a perda da planta ou seu definhamento.
No Brasil o cultivo das orquídeas é muito facilitado graças às condições climáticas favoráveis à maior parte das espécies e híbridos, excetuando-se aquelas mais carentes de temperaturas muito baixas e constantes.

Obs.: Para quem deseja colecionar, cultivar ou estudar orquídeas, sugerimos comparecer às nossas reuniões, onde poderá receber informações importantes para o seu caso específico.

De uma maneira geral aconselhamos iniciar com plantas menos exigentes quanto ao cultivo, como por exemplo algumas Cattleyas, as quais além de tudo são bastante ornamentais. Nunca use terra para plantar uma orquídea, exceto é claro para as terrestres. Entre nós o xaxim desfibrado é amplamente utilizado no plantio, com bons resultados. Há ainda outros substratos como a fibra de coco prensada (coxim), o musgo esfagno, etc. Para acondicionamento pode-se usar vaso plástico ou de barro, sempre de tamanho compatível com a planta, levando-se em conta crescimento da mesma para dois anos, que é o tempo médio de vida útil do substrato, o qual deve ser substituído após esse período. Para uma boa drenagem 1/3 do vaso deve ser preenchido com caco cerâmico, pois as plantas não devem ficar nunca encharcadas de água, o que poderia provocar apodrecimento das raízes.  Uma leve umidade será o ideal para as plantas, que só devem ser regadas quando o substrato já estiver completamente seco.
As orquídeas devem ser adubadas periodicamente a cada 20-30 dias e sempre em doses  homeopáticas.  Recomendamos para crescimento geral adubos com formulação NPK 18-18-18 ou 20 -20-20, e para floração 10-30-20. Após adubar deve-se deixar de regar as plantas por 48 horas. Adubos orgânicos como farinha de ossos, torta de mamona, esterco de aves curtido, também podem ser utilizados, aplicando-se espalhados sobre o substrato em pequenas doses, cuidando-se para não os colocar sobre partes das plantas. Quando introduzir una nova planta na coleção procurar limpá-la bem, eliminando as partes estragadas. Verificar se no vaso não existem lesmas, caramujos e outras pragas, e após isso aplicar fungicida e inseticida apropriado por precaução. A meia luz é a iluminação adequada para a maior parte das orquídeas.  A sombra das árvores à um dos melhores e mais simples ambientes para elas.
Uma das formas usadas para cultivo é construindo-se um ripado ou telado que corte a luz solar em mais ou menos 50%, bastando que se situe em local não sujeito a geadas ou ventos encanador excessivos.  Ter-se-á construído assim um micro-ambiente de condições ideais para o cultivo dessas plantas.


 


Obs.: Página em construção! Em breve a sua seqüência!